29/06/15

Que se lixe a Grécia, nós por cá todos bem:

1.  As mulheres a dias ganham o mesmo que alguns professores universitários. Ou será o contrário?
2.  Maria Luís Albuquerque deve estar contente: o dinheiro que diz ter nos cofres está a valorizar-se.
3. O desemprego é mais um mito urbano.
4. Cavaco Silva é a prova viva de que de toda a matemática que aprendemos ao longo da vida no fim reduz-se à simples aritmética da escola primária: "19- Grécia = 18"

28/06/15

Possivelmente a foto mais pornográfica

do século
Dia 25.06.2015.
Foto "roubada" aqui.

27/06/15

Ontem fomos todos Charlies, hoje somos todos Obamagay

Pelo que vou vendo e lendo em TV's, jornais, blogues e nomeadamente no facebuque a aprovação do casamento gay pelo Supremo Tribunal dos EUA desencadeou uma onda de aprovação e simpatia em Portugal surpreendente, pelo menos para mim.
Muito eu gostava de saber onde muitos estariam (e o que disseram) quando a lei foi aprovada em Portugal.
Ou o que diriam se fosse uma decisão do Tribunal Constitucional português.
E o que diriam se o então 1º ministro, de seu nome José Sócrates, tivesse iluminado com o arco-íris a Assembleia da República ou a residência oficial.
Mas fico contente:
- em primeiro lugar por aqueles que se bateram toda  a vida pela confirmação legislativa do casamento gay;
- mas também por aqueles que mudaram de opinião, só os burros é que não mudam.

25/06/15

PROUD MARY: Tina Turner - 2009


Tina Turner aos 70 anos.

PROUD MARY: Ike & Tina Turner - 1971


Ike & Tina Turner gravaram Proud Mary pela 1ª vez em 1970.
O duo existiu de 1960 a 1976.
Divorciaram-se em 1978.
Em 1971 Tina Turner tinha 32 anos.

PROUD MARY: Creedence Clearwater Revival - 1969


O original de John Fogerty.

24/06/15

"O homem e o rio" (William Faulkner)

Comecei ontem a lê-lo.
Nº 1 da colecção "O livro de bolso" da Portugália Editora
Tradução de Luís de Sousa Rebelo e capa de Mário Henrique.
O ano da edição não vem indicado no livro, coisa muito comum em livros da "época", por época refiro-me aos anos 40 a 60 do século XX.
Custou 30 escudos. 
O livro não é meu, foi-me emprestado pela minha sogra, e não sei localizar o ano da compra.

"While My ..." (Prince a partir de 3:28)


23/06/15

Don't let me be Misunderstood


Baby, do you understand me now
Sometimes I feel a little mad
But don't you know that no one alive
Can always be an angel
When things go wrong I seem to be bad
But I'm just a soul whose intentions are good
Oh Lord, please don't let me be misunderstood
Baby, sometimes I'm so carefree
With a joy that's hard to hide
And sometimes it seems that all I have do is worry
Then you're bound to see my other side
But I'm just a soul whose intentions are good
Oh Lord, please don't let me be misunderstood
If I seem edgy I want you to know
That I never mean to take it out on you
Life has it's problems and I get my share
And that's one thing I never meant to do
Because I love you
Oh, Oh baby don't you know I'm human
Have thoughts like any other one
Sometimes I find myself long regretting
Some foolish thing some little simple thing I've done
But I'm just a soul whose intentions are good
Oh Lord, please don't let me be misunderstood
Yes, I'm just a soul whose intentions are good
Oh Lord, please don't let me be misunderstood
Yes, I'm just a soul whose intentions are good
Oh Lord, please don't let me be misunderstood

22/06/15

José Manuel Fernandes ou a desonestidade intelectual de um ex-"m-l"

Os ex qualquer coisa sempre me fascinaram.
E os ex-marxista-leninistas convertidos à direita ainda mais.
É o caso do inefável José Manuel Fernandes.
Continua, hoje, um homem de certezas, como ontem.
Ontem acreditava no paraíso terrestre do grande pai do proletariado, vulgo Zé dos Bigodes.
Hoje acredita no grande capital e no neo-liberalismo (seja isso lá o que for).
Ontem como hoje mantém a indigência intelectual.
Ah, grande Zé.
A actual política europeia e a dos teus amigos da Nova Democracia (espero que não te ofendas), que governaram a Grécia até ao início de 2015, fizeram com que o desemprego  atingisse os 27% e que milhões de pessoas não possam pagar a electricidade.
Nunca pensei que fosse esse o modo de vida porque tantos lutaram na Europa.

Mas se tu o afirmas, quem sou eu para te contrariar.
Mas terás de concordar que se este é o modelo europeu até tu, se fosses honesto intelectualmente, o recusarias

Laura Antonelli (1941-2015)