18/03/15

Bodas de casamento

AnosDesignação1
1Papel
2Algodão
3Trigo ou couro
4Flores e frutas ou cera
5Madeira ou ferro
6Perfume ou açúcar
7Latão ou 
8Papoula ou barro
9Cerâmica ou vime
10Estanho ou zinco
11Aço
12Seda ou ônix
13Linho ou renda
14Marfim
15Cristal
16Turmalina
17Rosa
18Turquesa
19Cretone ou água-marinha
20Porcelana
21Zircão
22Louça
23Palha
24Opala
25Prata
26Alexandrita
27Crisopázio
28Hematita
29Erva
30Pérola
31Nácar
32Pinho
33Crizopala
34Oliveira
35Coral
36Cedro
37Aventurina
38Carvalho
39Mármore
40Rubi ou esmeralda
41Seda
42Prata dourada
43Azeviche
44Carbonato
45Platina ou safira
46Alabastro
47Jaspe
48Granito
49Heliotrópio
50Ouro
51Bronze
52Argila
53Antimônio
54Níquel
55Ametista
56Malaquita
57Lápis-lazúli
58Vidro
59Cereja
60Diamante ou jade
61Cobre
62Alecrim ou Telurita
63Sândalo ou lilás
64Fabulita
65Ferro
66Ébano
67Neve
68Chumbo
69Mercúrio
70Vinho
71Zinco
72Aveia
73Manjerona
74Macieira
75Brilhante ou alabastro
76Cipreste
77Alfazema
78Benjoim
79Café
80Nogueira ou carvalho
81Cacau
82Cravo
83Begônia
84Crisântemo
85Girassol
86Hortênsia
87Nogueira
88Pêra
89Figueira
90Álamo
91Pinheiro
92Salgueiro
93Imbuia
94Palmeira
95Sândalo
96Oliveira
97Abeto
98Pinheiro
99Salgueiro
100Jequitibá
Adivinhem onde já cheguei?
Uma dica: as de prata já foram há uns anos.
E acho admirável fazer listas até aos 100 anos de casados. 

Lista de cobardes VIP

Andaram a negar a existência da lista de contribuintes VIP durante dias.
Mas, hoje, sabe-se que ela existe ou existiu.
Mantendo o padrão de cobardia de outros ministros (a saber: Nuno Crato e Paula Teixeira da Cruz) a ministra Maria Luís Albuquerque e o secretário de estado Paulo Núncio atiram para os serviços que tutelam.
Já há uma vítima.
Paulo Núncio irá ao Parlamento. Possivelmente continuará a negar a existência da lista ou dirá que fui eu que pedi aos serviços para a elaborar.
Nunca conheceremos a lista de contribuintes VIP, mas eu sei quem são os cobardes VIP, neste caso:
- Paulo Núncio;
- Maria Luís Albuquerque e
- Pedro Passos Coelho.

09/03/15

O perfil do actual Presidente da República


Pedro, "O rapazola em S. Bento" vs o "O rapazola de Massamá"

Pedro, "O rapazola em S. Bento", irá penhorar o apartamento de Pedro, "O rapazola de Massamá"?

06/03/15

Serviços Secretos Alemães...é só água!!

Então não é que roubaram as torneiras da nova sede dos Serviços Secretos Alemães (BND, sigla alemã)?
Ainda não foi inaugurada e já está inundada.
Ah! e custou mais de 1300 milhões de euros.
A eficiência alemã no seu melhor.

03/03/15

Coelho escondido com o rabo (que acha que é dele) de fora

O Sr. Coelho, o Pedro, esteve sempre na vida política, que eu me lembre.
Quando "desapareceu" da dita  parece que foi para acabar um curso (em 2001) e depois para trabalhar em empresas quase todas ligadas ao "padrinho" Ângelo Correia.
Depois, em 2010, resolve voltar à política, com o apoio do dito "padrinho".
Agora, 4 anos depois de ser 1º ministro, queixa-se que andam (os jornais e um jornalista) a "tentar saber da sua vida fiscal".
Quem não deve não teme, se bem que neste caso até deva (ou devia, ainda não percebi se já pagou tudo) à Segurança Social. Mas era porque não tinha "consciência das suas obrigações". Coitadinho, armado em piegas.
Mas, hoje, deu mais um passo à frente afirmando que não é "um cidadão perfeito", o que me levou a ter alguma simpatia pelo personagem, detesto os meninos perfeitos.
Mas logo a seguir o Sr. Coelho desilude-me, então não é que diz:
Importa-se de repetir Sr. 1º ministro: "aquelas que achei que eram as minhas obrigações" (???!!!). Que achou??
Esta afirmação é todo um programa político, de um político que em plena campanha eleitoral de 2011 mentiu com os dentes todos prometendo aquilo que já sabia que não podia cumprir porque tinha assinado (e apoiado com toda a força), antes da campanha, o memorando da troika.
E que depois governou chamando piegas aos cidadãos e insultando-os mês sim, mês sim. Apresentando-se como um impoluto.
Quem vive de acordo com o princípio do Sr. Coelho, também deverá saber quais as consequências quando os outros  lhe disserem que as obrigações a cumprir são as consagradas na lei, curiosamente algumas aprovadas pelo Sr. Coelho.
Se o Sr. Coelho não sabia disso, e não está disposto a cumprir as obrigações de acordo com a lei, tem bom remédio: é demitir-se.