13/01/08

Vitor Dias em rota de colisão com o P.C.P.

O 4º Congresso da Oposição Democrática ( Aveiro, dias 4 a 8 de Abril ) , noticiado aqui, já está a provocar os primeiros confrontos no, até hoje, monolítico P.C.P.
A tese "Porque razões uma ditadura fascista é melhor que uma ditadura parlamentar" já está a ser preparada por António Vilarigues como se pode ler aqui :
"...trata-se de uma forma de censura adequada à globalizada ditadura parlamentar da burguesia, subtil e mais violenta, porque disfarçada, que a censura assumida pelos regimes fascistas e fascizantes." (clicar)
Fontes fidedignas tinham-me informado que Vítor Dias ( membro do Comité Central )

também subscreveria a mesma tese. Vítor Dias teve a amabilidade de me informar, em nota deixada na caixa de alucinações da notícia, que :
" Creio que seria um acto de lisura para comigo e de seriedade com os seus leitores se fosse capaz de dizer aqui quais as minhas frases ou afirmações que o levaram a incluir o meu honrado nome nesta sua graçola e designadamente quais as que dão algum suporte à absurda e tonta ideia que me atribui de que uma ditadura fascista é melhor que uma ditadura parlamentar."
Fica assim feita a correcção que Vitor Dias não subscreve a tese em preparação pelo seu camarada António Vilarigues. Para mais precisões clicar aqui.

Notas do Director ( que por acaso é também o jornalista, o estafeta, o director financeiro, etc....que a vida está difícil para todos ) deste blogue :

1. Lamento não ter contactado Vítor Dias antes da publicação da notícia e espero que os esclarecimentos atrás feitos tenham limpo a sua honra.

2. Registo que Vítor Dias chama tonto ao seu camarada ( até ver ) António Vilarigues que até à data ainda não desmentiu a noticía publicada no dia 11 de Janeiro.

3. Verifico que a realização do 4º Congresso da Oposição Democrática está a provocar uma saudável troca de ideias entre os participantes.

3 comentários:

VÍTOR DIAS disse...

Não sou procurador de António Vilarigues mas não é verdade que ele não tenha desmentido essa frase que foi atribuída .

Com efeito, foi próprio Tomás Vasques em post de 10/1 que deu conta desse desmentido nos seguintes termos:

«A propósito do que considerei a patética onda anti-fascista do momento, citei António Vilarigues: «… trata-se de uma forma de censura adequada à globalizada ditadura parlamentar da burguesia, subtil e mais violenta, porque disfarçada, que a censura assumida pelos regimes fascistas e fascizantes.» Tal como Vítor Dias, outro dos citados, não aceitou estar ao lado dos que, como Zita Seabra, dizem que a Liberdade e democracia estão em perigo, também António Vilarigues me endereçou o seguinte e-mail: «Como pode verificar pela versão on line (ou em papel) do jornal Público do dia 20 de Agosto de 2007, ou pelo texto colocado no meu blog http://ocastendo.blogs.sapo.pt/28256.html, a frase introdutória do artigo não é minha, mas sim dos editores do diario.info.» Aqui deixo a correcção.

o castendo disse...

Confirmo o que o Vítor Dias escreveu em cima:«Como pode verificar pela versão on line (ou em papel) do jornal Público do dia 20 de Agosto de 2007, ou pelo texto colocado no meu blog http://ocastendo.blogs.sapo.pt/28256.html, a frase introdutória do artigo não é minha, mas sim dos editores do diario.info».
Aqui fica a minha correcção

Anónimo disse...

Então depois destes dois desmentidos e correcções, um deles do próprio visado,o «dono» deste blog não tem nada a dizer, a alterar ou rectificar, coisa que até o Tomás Vasques fez ?

Custa assim tanto reconhecer que errou e deturpou ? Julga que o silêncio, o desprezo ou o assobiar para o lado chegam para enganar os leitores deste blogue ?

Haja um pingo de vergonha na cara!