28/10/08

A crise não é o momento para aprendermos

Agora que a crise está instalada há por aí muito boa gente que nos pretende ensinar o que devemos fazer para fazer face à dita. No mínimo é caricato os telejornais das TV's generalistas darem-nos lições (??!!) de como poupar o dinheiro que aparentemente muitos já não terão.
As crises podem ensinar-nos muitas coisas, mas não estou seguro que aprendamos algo com elas.
Deviamos ter aprendido era na época das vacas gordas.
É nessas alturas que é fácil enviar a carta por Correio Azul em vez de normal mesmo que a mensagem não seja urgente.
Também é fácil chamar o estafeta para entregar em mão , no minuto, algo que alguém disse que tinha urgência mas não tem relevância.
E que tal um jeep para a madame se pavonear na cidade ? Força que há cash. Consome 20 litros aos cem e anda 5.000km ao ano...que importa ? Dá estatuto à porta do colégio dos meninos.
A menina ou o menino entraram para a faculdade ? Coitadinhos que não podem andar de transportes públicos. Cheiram a sovaco da populaça. Ó desgraçadinho toma lá um carrinho novo.
Quando visitam, em turismo, as capitais europeias elogiam os transportes públicos das mesmas, mas em Lisboa ou no Porto isso é para a ralé. É mais fino estar horas nas filas de quilometros e dizer que cá não funcionam.
As gordurinhas acumulam-se na barriga ? Tanto ginásio e SPA no bairro...toca de ir lá dia sim dia não. E se tiverem solário toca de trabalhar para o bronze no dia não.
A madame anda desocupada ? Que tal abrir uma lojeca para ela se manter entretida ? Força , que a pastelaria ou o pronto a vestir do vizinho está a dar. E a abrir é melhor ser na porta ao lado.
( Já verificaram que em qualquer novo bairro ou nova urbanização , abrem logo pelo menos 2 cabeleireiros, 3 pastelarias , 1 loja de animais, duas ou três de pronto a vestir. E de preferência todas na mesma rua ou praceta ? )
E quantas lojas não compram artigos que nem sequer expõem e que ficam no armazém meses a fio ? ( falo por experiência própria ). Depois quando estão em dificuldades toca de não pagar aos fornecedores.
...e podia continuar.
Mas quando as vacas estão gordas é tempo de festança , não de aprendizagem.
Ao menos espero que tenham sido felizes enquanto a festa durou.

5 comentários:

expressodalinha disse...

Mas ficam com muitas dívidas para pagar e não podem ir ao cabeleireiro. Detesto dondocas despenteadas a cheirar a sovaco. Na Linha é de muito mau gosto!

Galeota disse...

Pois..."Heno de Pravia"(Deo roll-on eficacia natural.Máxima eficacia 24 h.Protección todo el día.La naturaleza te protege)

Al Kantara disse...

Dondoca despenteada não chega a ser dondoca, é só despenteada...

ortega disse...

Não percebi lá muito bem onde é que queres chegar com este texto,Ó António, não me digas que também não pagávas aos fornecedores dos produtos que tinhas armazenados e não expunhas.Será que não "apreendi" nada?

ushuaia disse...

Ao ler o texto e os comentarios fico com o mesmo travo da 'lasca do alasca'... não gosto! cá dê os homens nos spas, nos solarios,nos carrões, dos senhores a passearem cães de marca, a fumarem havanos na esplanada?... Dondoca é só para o feminino?