16/01/09

Amizades peregrinas

Era tão amigo do Hamas que viajou de Lisboa até Gaza. Queria ser um mártir suicida e fazer-se explodir num autocarro em Telaviv. Não o aceitaram porque era um incréu. Regressou a Lisboa. Converteu-se ao Islamismo. Casou com 4 mulheres e foi muito feliz. Um dia resolveu fazer a peregrinação a Meca e fez-se explodir no meio da multidão. Consta que não foi aceite no Paraíso.

3 comentários:

Eduardo P.L disse...

António,

é uma honra estar na lista dos blogs que se acostumou a ler.

Muito obrigado!

O seu esta lá no Varal!

miriam disse...

é! também a Onu só tinha funcionarios do hamas de modo que tomem lá. assim como os inocentes, hoje são inocentes mas vamos lá saber se um dia resolvem ir a Meca ou visitar a Mesquita do Laranjeiro e tumba... Há que exterminar, exterminar se possivel antes de nascerem.

Galeota disse...

...mas nunca deixou de ser um íncubo.