22/02/10

Sucata...

foi por onde tudo começou. Tudo não. Apenas o já famoso caso judicial "Face Oculta". Foi há uns meses. No quente dos primeiros dias foram constituidos vários arguidos. Uns mais conhecidos. Outros menos. Nos mais conhecidos estavam Armando Vara e José Penedos. Armando Vara era indiciado, se a memória não me falha, por 14 crimes. O Juiz de Instrução apenas o leva a tribunal por 1 (um). De José Pendos já nem sei. Desvantagens de ser menos mediático. Em prisão preventiva está o Sr. Manuel Godinho, o sucateiro como lhe chama a imprensa. Pelo menos alguma. Mas estava prometido um espectáculo muito maior. Judicialmente não foi o que aconteceu. Já nem sei o nome dos outros arguidos. Nem eu nem a imprensa.
Mas felizmente que, em Portugal, existe jornalismo de investigação. Pena que não seja escrito por jornalistas mas por agentes do sistema judicário. Juízes ? PJ's ? Procuradores ? Advogados ? Quem sou eu para o dizer ?
Apenas verifico que esses "jornalistas" passaram a escrever em vários jornais. Uns diários , outros semanários. Sob pseudónimos. Tema tão na berra na blogoesfera. Uns assinam Felícia Cabrita outros não lhes fixei o nome. Devem estar em início de carreira. E escrevem sobre quem irá ser julgado ? Não. Escrevem sobre novos personagens, que a justiça não indiciou de nada. Escrevem é uma forma de dizer. Transcrevem , ou melhor copiam, partes de escutas telefónicas que estão em segredo de justiça. Curiosamente ( ou não ) a maioria dos novos personagens não são políticos mas quadros dirigentes de grandes empresas. Muitas cotadas em bolsa. Ou até ex-futebolistas.
Depois, nos noticiários televisivos, os pivots lêem as notícias publicadas nos ditos jornais. Assim também eu era pivot. Organizam-se debates. Nas TV's e nas rádios. Debates onde a maioria dos fazedores de opinião de serviço (sempre os mesmos ) não vão debater nada mas apenas travestirem-se de procuradores anónimos ( outra vez ? ).
Também se criam comissões parlamentares para dar tempo de antena ao Sr. Mário Crespo para promover as vendas do seu último livro. Quem comprar 2 ainda leva uma t-shirt como bónus. Mas este senhor vai lá, não por causa do "Face Oculta", mas porque alguém lhe disse que o 1º ministro falou mal dele num restaurante de um hotel lisboeta. Alguns deputados já dizem que mais vale acabar com a dita comissão.
É o que dá os processos judiciais serem publicados nos jornais em versão fotonovela.
Que a classe política não tem grande crédito na opinião pública já se sabia. E o mesmo se verifica para os agentes da justiça. Isto a acreditar nos estudos de opinião. Se bem que os políticos vão a votos de 4 em 4 anos. E nas urnas os cidadãos fazem a sua avaliação e escolhem quem querem para os representarem. Ainda vivemos em democracia. Felizmente.
Lamentável é os jornalistas não perceberem que o mesmo, a perca de crédito, se está a passar com eles.
Pena não haver jornalismo de investigação em Portugal. Sei que é caro. Mas só dignificava o jornalismo e contibuiria para melhorar a nossa democracia.
Assim, é tudo sucata.
E voltamos ao título do post.

5 comentários:

Galeota disse...

Não se esqueça que a telenovela "Rainha da Sucata" tinha 179 capítulos...

mdsol disse...

Alguns são verdadeiros artistas!

expressodalinha disse...

A bem dizer é tudo uma sucata, começada por m...

Fernando Frazão disse...

Este meu comentário nada tem a ver com o conteúdo do post com o qual estou de acordo.
Apenas não percebo porque se insiste em escrever PJ's, TV's.
Em Português os acrónimos não têm plural. Mesmo que tivessem seria PJs e TVs e nunca com o apóstrofo.
Pjs e TVs é a notação inglesa porque eles não têm artigo definido no plural. The TV (só uma) The TVs (mais do que uma).
O apóstrofo só se usa no caso possessivo (p.ex. the Sonae' TV).
É apenas um promenor mas é bastante irritante.
Cumprimentos

Fernando Frazão

António P. disse...

Caro Fernando Frazão,
Touché.
~Tento escrver o melhor que sei mas às vezes os textos saiem ao correr da pena :).
E nos casos que meciona reconheço a influência ( má ) do inglês que foi minha lingua de comunicação profissional ( e não sáo ) durante um tempo significtaivo da minha actividade.
Cumprimentos e as minhas desculpas pela irritação provicada...antes seja pela forma que não pelo conteúdo :))