05/04/12

Redistribuição gradual

diz Pedro Passos Coelho quanto aos subsídios de férias e Natal.
Mais acrescenta, que isso será lá para 2015 (ano de eleições, acrescento eu) e que "a redistribuição será pelos 12 salários de um ano."
Vamos agora trocar isto por língua de gente:
- você ganhava, em 2011, 1.000 euros por mês e recebia 14 meses, ou seja por ano recebia 14.000 euros;
- agora cortaram-lhe 2 meses ( os subsídios) e passou a receber 12.000 euros por ano;
- em 2015 o governo (??) vai ser muito generoso e aumenta-lhe o salário 4%, ou seja passa a receber 1.040 euros por mês.
Obrigado Pedro, dirá o povão.
Obrigado mas é o tanas, digo eu, é que  vai receber 1040 euros mas só 12 vezes, ou seja 12.480 euros por ano, menos 1.520 euros que recebia em 2011...e já estamos em 2015, ano de eleições e o Pedro pensa que somos estúpidos.
E é por isso, por nos andar a insultar, que vai perder as eleições não por ter exigido sacrifícios.

4 comentários:

Anónimo disse...

Tenho andado só a ver programas infantis... férias dos netos, claro.
Não percebo nada deste seu post, o que quer dizer: estou obtusa (culpa minha); o PM nega a legitimidade que o povo lhe conferiu (um pavão a gozar com o povão - raio do pavão! parvo do povão!); ou, erro do bloguer... Mas um valor anual (mensal*14) não correspondente a um valor dividido por 12 igual a 1.167?
Onde está a minha confusão?
Leonor Pinto

Anónimo disse...

E os 4% de "reposição" em 2015 incidem apenas sobre um dos dois subsidios retirados e será usada para argumento de ajuste do poder de compra já que nessa ano não haverá autualização de ordenados. Estamos todos a dormir.
Manuel

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desenvolvo no meu Rochedo um raciocínio semelhante mas, talvez por ser um pessimista, a conclusão é diferente. O tuga, deslumbrado com o aumento que nem sequer repõe os 5% da redução dos salários que sofreu em 2011, acorrerá a Fátima para agradecer a dádiva e dali seguirá para as urnas, onde depositará o voto em Coelho, como forma de agradecimento.
Há tiques do Estado Novo, que o tuga assimilou de forma tão consistente, que lhe toldam o raciocínio.

António P. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.