09/03/09

Um poema do mestre Lagoa Henriques sobre a pintura de Luis Dourdil




Post dedicado à anónima da caixa de comentários do post anterior ( que é a Céu do folheto ) e também ao Zé Mariano que já não está entre nós, mas é como se estivesse.
Clicar nas imagens para ampliar e as minhas desculpas pela pobre qualidade das digitalizações. É o que se pode fazer com as ferramentas que tenho.

4 comentários:

Anónimo disse...

Obrigada por me teres feito voltar aos anos 70.Não consigo reler o poema, mas o importante é q. está em boas mãos. Já lá vão 31 anos sobre a data do dito poema...Eu sabia q.o irias procurar.Bj.

Anónimo disse...

Afinal já li o poema. Obrigada.

Galeota disse...

Muito bonito.Fraterno. Gracias à la Vida...

expressodalinha disse...

Toquei no atelier de mestre Lagoa Henriques em 1977...!