10/02/08

As pessoas não são números

é uma frase popular que a maioria dos políticos gosta de usar revelando, na maioria dos casos, um desprezo pelos números. Fazem mal. Vivemos rodeados de números e sem eles possivelmente viveriamos pior. Mas os números precisam de ser bem tratados, tal como as pessoas. Para isso é necessário trabalho, paciência e método. Por isso aconselho a leitura de "The Triumph of Numbers " editado pela W.W. Norton & Company :

Bem sei que é em inglês mas por 14,85 € acho que vale a pena. Foi a última obra I. B. Cohen ( 1914-2003 ) que criou o Departamento de História da Ciência na Universidade de Harvard. O livro tem 9 capítulos e faz-nos percorrer a história dos números , a sua presença nas leis da física, na demografia e na política. Curiosamente termina com um capítulo dedicado a Florence Nightingale (1820-1910) que podemos considerar a criadora da enfermagem moderna de quem Cohen diz :

" ( she ) merits a chapter in a book on social uses of numbers for two reasons. First, her use of statistics exemplifies a growing awareness in the nineteenth century of the pratical importance of numbers in any discussion of public health and social reform. Second, she herself made contributions to the ways numerical information is presented." ( pág 158 do livro )

De uma forma resumida o autor descreve-nos a vida de Florence e as suas acções ( a nivel organizacional usando registos numéricos para fundamentar as mesmas ) para melhorar o sistema de saúde britânico da época e termina com uma carta dela a Francis Galton , o fundador da eugenia, que conclui assim :

" You remember what Quetelet wrote ( referring to his Letter 45 to the Grand Duke, quoted above )... " Put down what you expect from such and such legislation; after____years, see where it has given you what you expected, and where it has failed. But you change your laws, your administering of them, so fast, and without inquiry after results past or present, that it is all experiment, see-saw, doctrinaire, a shuttle-cock between two battledores. "

Isto foi escrito em 1891. Para quem não leu, ainda vai a tempo, se quiser.

1 comentário:

expressodalinha disse...

O problema é que nunca é este tipo de pessoas que vão para ministros. E quando tal acontece, mudam logo de opinião!!!